Somatotipo: características do Ectomorfo, Mesomorfo e Endomorph


Recentemente, falamos neste artigo sobre as características gerais da classificação corporal por somatotipos. Agora, vamos especificar um pouco em aspectos de cada um deles, que certamente são pouco conhecidos pela maioria. Como mencionamos no artigo vinculado anteriormente, este tipo de pessoa é o alt@ e extensão@. Essas características se relacionam em causa-e-efeito, com o início tardio da puberdade, já que os ossos longos têm mais tempo para crescer do que em outro tipo de constituições físicas. Além disso, a pélvis é mais larga que os ombros, e o possível excesso de peso se acumula principalmente nas coxas e quadris. No que diz respeito às articulações, são muito móveis, e os músculos predominam em comprimento mais largura, por isso é mais propenso a criar maior hipertrofia em série, em paralelo (treinamento excêntrico, pliometrías...) graças a sua grande capacidade de extensão muscular. Em relação ao sistema circulatório, as pessoas ectomorfas têm uma pressão arterial muito típica, um pulso em repouso relativamente acelerado e uma circulação sanguínea fraco, já que tanto a vasodilatação, como a vasoconstrição, costumam ocorrer com lentidão. Esses fatores fazem com freqüência se tenha as mãos e os pés frios e até mesmo algum tipo de vertigem ao levantar-se. A atividade do sistema nervoso, pelo contrário, é extremamente eficaz. Reage com rapidez e de forma sensível frente a estímulos mais variados, mas pelo lado ruim, é mais sensível à dor e tendem a sofrer de estados de tensão do sistema neuromuscular. De acordo com os dados, a digestão desse tipo de sujeitos não se desenvolve de uma forma efetiva, pois os nutrientes absorvidos com maior dificuldade. Assim, se encontra com a tendência a ter níveis baixos de açúcar no sangue (hipoglicemia), pelo que, nestes casos, pode ser aconselhável fazer cinco refeições, em vez de três importantes para manter o estado glicêmico mais normal. Sobre a postura do corpo, há que dizer que a causa do tórax estreito resta pouco espaço para os intestinos. Por isso, a barriga essa bomba, mesmo com as refeições mais pequenas e empurra para baixo a borda anterior da pelve, ocasionando, assim, posturas hiperlordóticas, fato este que deve ser muito levado em conta para ser corrigido durante o treino. Falando de exercício e actividade física, as longas alavancas geradas pelo comprimento de seus membros, junto à certa fraqueza (em geral) do sistema circulatório em relação a outros somatotipos, faz com que as melhorias na força em comparação com os mesomorfos ou endomorphs sejam mais paulatinas e menos pronunciada ainda, seguindo o mesmo programa de treinamento. Haverá que ter em conta nas disciplinas de computador. Da mesma forma, ao deixar de treinar, as perdas de força e massa muscular são mais visíveis e evidentes que em sujeitos mesomorfos ou endormorfos. Por isso, se o objetivo principal de um programa de treinamento está entre esses dois (força e/ou hipertrofia), os períodos de descanso passivo ou ativo, poderiam vir a ser previsto menores que nos outros somatotipos. Pelo contrário, a capacidade de alongamento pode ficar com pouco treinamento em relação aos outros. O tipo corporal com mais aparência de um atleta de todos costuma amadurecer muito cedo e, por isso, tem bons resultados no esporte desde criança. A circulação sangüínea e o desempenho muscular é bem, verdade que se pode apreciar na sua baixa pressão arterial e bradicardia. Neste aspecto é importante que, ao entrar em uma idade avançada, sim, você reduz o nível de atividade física, o risco de sofrer doenças cardíacas hipertónicas é maior, aconsejándose um treino aeróbico de forma mais regular. As dilatações dos vasos sanguíneos ocorrem primeiro com rapidez, o que, unido ao anteriormente mencionado, evita que sofrem de vertigem ao mudar repentinamente de posição e suporta melhor o frio do que o ectomorfo. A força muscular em conjunto com um tecido conjuntivo forte e forte reflexos de estiramento implica que manter a capacidade de flexibilidade não é um dos seus pontos fortes e também deve trabalhá-la com ênfase. Por outro lado, os altos níveis de adrenalina lhe incentivam o exercício enérgico. Por sua poderosa musculatura costumam manter a postura que os outros dois somatotipos, embora isto está intimamente relacionado com a melhoria e a prática de exercícios de consciência corporal e propioceptivos. Em relação à digestão, se desenvolve de forma normal, ao contrário do caso anterior. A acumulação de gorduras e as formas arredondadas são as principais características deste tipo de constituição, como citábamos no artigo anterior. A circulação sangüínea e a musculatura são mais fracos que o atleta, mas mais fortes do que o ectomorfo, o que leva a prever que a sua posição é um pouco mais rígida que em um ectomorfo, mas mais móvel do que em um mesomorfo. A boa absorção dos nutrientes, faz com que ganhe peso com mais facilidade, por isso, a dieta deve incluir alimentos menos energéticos do que no resto do somato tipos para manter um equilíbrio entre força e peso, salto em altura, salto em comprimento, futebol, basquete, esportes de contato...). Sua capacidade de relaxamento é muito boa e, geralmente, são menos sensíveis à dor. No entanto, as funções se desenvolvem com maior lentidão (pulso lento em repouso, pressão arterial baixa, puberdade tardia...), tornando-o mais propenso ao sedentarismo e à obesidade. Com problemas para manter o peso corporal em caso de lesão, faz-se necessária, além da dieta adequada, um treino de resistência mais intensivo do que o restante de somatotipos. Como informação adicional, o nosso companheiro Javier Colomer deixou uma série de recomendações para conhecer, de acordo com o biotipo, como definir o total calórico e distribuição de macronutrientes, associado a um estágio de volume. E você, com qual você se identifica?