Reflexão sobre a dieta e o treino II


Olá a tod@s, este artigo é a segunda parte de "Reflexão sobre a dieta e o treino", portanto, continuando com este tema, vou fazer uma descrição de um dos principais problemas que as pessoas, de forma geral, está na hora de perder peso, e é o fato de por que falham as dietas. Para o texto em questão, apresentarei alguns conceitos-chave, essenciais para o entendimento de como funciona todo este "telhado", isto é, o complexo sistema digestivo humano...a par de uma explicação, espero que encontre amena. Começamos, pois, com isso: O corpo humano é uma máquina perfeita de auto-regulação (definição generalista de Homeostase, para fãs de Punset), dispõe de sistemas complexos para manter-se dentro de uma faixa nosso peso e nível de gordura. E é exatamente com este último, o que há que ter em consideração. Pois "graças" às nossas fatty cells, as quais secretam um hormônio chamado leptina, que é a encarregada de enviar um sinal para o nosso neurais, e em especial para a área do hipotálamo, onde serão registradas as diretrizes a realizar. Quais são as diretrizes?, pois basta que, em função de nosso nível de gordura, o corpo tem duas ações antagonistas: A menor nível de gordura, o que no jargão anglo-pesistica denomina-se: "...when you become leiam..." ou com menor quantidade de gordura, a atividade do hormônio é inferior, será enviada menor informação ao cérebro. E então, o what next?, pois nosso corpo tende a ser regulados, qual ar condicionado no verão, provoca uma diminuição da atividade da tireóide, por conseguinte, nosso metabolismo se torna mais lento, e entra em jogo outro hormônio, a hipotalâmico grelina, dando como produto ou resultado da estimulação do neuropeptido E (NPY) e, finalmente, dando-nos a sensação de fome. Buff, não se perca com tantos termos, mas é fácil de entender o fenômeno. Caso contrário, isto é, um sujeito com predominante composição de gordura, estimula mais a produção de leptina, enfatizando o cérebro a ter uma atividade mais acelerada, e dando a conhecer que, no momento, "estamos servidos", ou seja, não serão gerados os incrementos de hipotalâmico grelina, e derivando-se em uma sensação de fome. Agora façamos um regresso ao passado, um pouco distante, e considerem-se os homens das cavernas, e como deve afectar tudo isso. A natureza é sabia, e se secretam hormônios e outras coisas será por algo, não? Pois bem, neste ponto, se o nosso homem das cavernas, o fato de não ter comido (já que em seu ambiente já os dinos escasseavam, hehe), pois apresentaria um perfil mais bem puxando a kenianata de competição, ou seja, muito baixo de gordura, e, portanto, a secreção hormonal se veria diminuída e, portanto, o body pediria alimento, e isso que se disporia a caçar como um louco para buscar algo que levar à boca. O corpo tenderá a aumentar os depósitos gordos "por acaso" (o inverno é longo), e que não vá ser que não possamos comer em algum tempo. Peeeero, por sua vez, tambieén pensa, "como faz engordar esse tio, para ver como são as apañará para sair correndo do leão de plantão". Curious contradiction. Voltemos ao presente Doc. Se antigamente estar com tripa era algo vital para a sobrevivência, por que hoje em dia é considerada o principal problema relacionado com a diabetes e outras doenças associadas? De olho! que o seu corpo pode fazer resitente à insulina e leptina. Mal assunto então. Mas já podemos intuir quais são os fatores determinantes ou não? Vida sedentária, nada de esporte, o álcool, o tabagismo, comer porcarias, ...uma lista sem fim vamos. Apesar da abundância de gordura seu hipotálamo não recebe o sinal correspondente, não tem cobertura, digo que tornou-se com certa resistência à ordem de diminuir a fome. Mas não se preocupe, nem tudo está perdido, a resistência à leptina é possível "curar" e como? fazendo o contrário da anterior lista... Ok, tudo isso é muito bom, mas o tema em questão é: por que falham as dietas. Para isso, a resposta é que, em primeiro lugar, dieta, como tal, é algo inventado pela sociedade moderna. O ponto a tratar seria definir algumas orientações que me garantam manter-me em baixo de gordura e saudável, olho aqui, e cuidadín com certas dietas modernas,... Se o homem pré-histórico apresentava perfil de baixa gordura corporal era simplesmente por "obrigação". O menino não dispunha de sites desses que abrem as 24h e pode ir com seu carro... não era o típico por aqueles lares. Mas não obstante, os mecanismos hormonais continuam vigentes em nossa genética, e, portanto, se hoje em dia temos todas as facilidades para adquirir um "snack" em cada esquina, deveremos ser nós mesmos os que nos submetamos a uma certa restrição calórica, através de dois fatores-chave: praticar atividade esportiva e comendo um pouco menos de alimentos. Agora, também é certo que não se pode levar isso até o infinito, eu explico. O homem ancestral, se está submetido a uma restrição calórica, é por ser obrigatória, passando fome, e agora se vai e perguntas se quiser dar uma carrerita, pois, que prefere reservar desta energia, para usá-la para....viver!!! Nós não chegamos a isso, ao contrário, procuramos o meio de queimar mais calorias. Mas o ponto negativo desta restrição severa e exercício prolongado, é que o nosso corpo reage segregando um hormônio chamado cortisol, que permite usar qualquer tecido como o tipo de letra de energia. Irá descomponiendo músculo, gordura, etc., para ser usado durante o treino. Que bom, perderemos lorza, mas não é tão simples, tal hormônio é também responsável por depositar a gordura sobre os adipócitos do abdômen (= a michelin), pode fazer com que entremos em estado catabólico e perda de massa muscular...Remove remove, isso não o queremos. Para completar o círculo, o estado também estarão um pouco revoltosas os hormônios hipotalâmico grelina e NPY, dando-nos a sensação de fome, e ainda por cima, fazendo com que nos apetecer coisas doces. Isso para o nosso amigo homem das cavernas não lhe representaria nenhum problema, o mais doce seriam alguns frutos silvestres, se os encontrassem..., mas no nosso caso, existem cerca de maquinitas a que se adicionam moneditas e vão soltando barras de cereais, barras de chocolate,...Tudo o que temos ao alcance da mão. Para evitar todas estas contra-indicações, devemos definir o plano com inteligência, não submeter o corpo à estressantes sessões de cardio sem fim, rotinas de alto volume sem sentido, comer como um passarinho,... vamos coisas sem sentido, o que se pode fazer do que perder peso rapidamente, também repercute em ganhá-lo de forma surpreendente e fugaz. O rebotazo que se costuma dizer. Não queremos fazer do "remédio"(praticar desporto / dieta ou hábitos alimentares) pior do que a "doença"(corpo que quer perder gordura). Alejaros da comida lixo, maus hábitos, não há esporte. Esses são os fatores que marcam, em seguida, na hora de pôr a culpa em alguém, pois vós mesmos tereis algo a ver com o assunto, por não ter sido "bons", e entrai, peço-vos então a dar pestes vosso preparador, a minha... Por isso, então, não "funcionam" as dietas... eu acho Basear-se em realizar um desporto de forma regular, em torno de 1 hora por dia, alternando diferentes intensidades, e então uma dieta de acordo com o desgaste, com uma ligeira redução calórica, e dedicamos refeed semanal (sem colarnos!!!), podemos estar certos, que a menos que nos afete de algum tipo de patologia, vamos pelo bom caminho "magro". A busca da dieta sustentável! Parte 1