Problemas das dietas veganas e vegetarianas


Geralmente, as pessoas que seguem dietas que excluem-se os produtos animais o fazem, respondendo a uma filosofia de vida determinada e, em busca dos benefícios de saúde que este tipo de alimentação promete garantir. O vegetarianismo consiste basicamente no consumo de vegetais, frutas, grãos e sementes, mas existem variantes dentro desta corrente. Muitos vegetarianos incorporam alimentos lácteos, ovos, ou ambos, com o fim de assegurar o aporte de proteínas. O veganismo, por sua vez, não aceita nenhum produto animal. A dieta vegana é composta principalmente de frutas, legumes, cereais e legumes. Afirma-Se que todos estes modelos alimentares são saudáveis, ferramentas importantes na prevenção de doenças crônicas e capazes de oferecer todos os nutrientes necessários. No entanto, este tipo de dietas costuma gerar sérias deficiências alimentares em muitos casos. Existem várias razões para duvidar da segurança que oferece este estilo de alimentação, especialmente quando se observa sem a supervisão de especialistas na matéria. Muitas pessoas decidem mudar radicalmente seus hábitos alimentares, adotando as diretrizes vegetarianas radicalmente, sem a mediação de um período progressivo de adaptação. Esta modificação alimentar tão forte é totalmente desaconselhavel, já que implica um violento choque com a história nutricional pessoal e familiar gestada durante gerações e acaba afetando o organismo de modo mais ou menos grave, de acordo com cada caso. Por outro lado, é muito difícil substituir os aportes nutricionais de origem animal, o que pode gerar deficiências muito prejudicial para a saúde. As carnes vermelhas, peixes e frutos do mar oferecem ferro, vitamina B12 e zinco, elementos cuja falta provoca o aparecimento de anemia. Os lácteos fornecem cálcio e vitamina D, fundamentais para o desenvolvimento de ossos e dentes saudáveis. Além disso, as dietas vegetarianas podem causar deficiência de certos aminoácidos essenciais, vitaminas A e C e ácidos gordos, todos os micronutrientes de alto valor alimentar. As carências nutricionais mencionadas são particularmente arriscadas em certos períodos da vida, tais como as fases de crescimento e durante a gravidez, quando certas necessidades alimentares aumentam. As frutas, legumes, cereais e leguminosas são produtos altamente desejáveis para introduzir na dieta diária, mas os alimentos de origem animal não devem ser eliminados das receitas diárias. O ideal é garantir um consumo variado e equilibrado, que garanta a contribuição de todos e de cada um dos nutrientes que são indispensáveis para manter um bom estado de saúde. Respeitar as doses recomendadas de cada alimento, evitar a ingestão excessiva de gorduras, farinhas e açúcares, beber bastante água e incluir carnes magras, laticínios desnatados e frutas e legumes da estação são diretrizes recomendadas para garantir uma alimentação harmônica e saudável.