O potencial anabólico do omega 3


Antes de ler este post eu recomendo que leiais o artigo de David, no qual fala do omega 3, para que se possa ter uma base de referência. Link aqui. A primeira coisa que devemos saber é que, devido aos tempos que correm e os alimentos que consumimos nosso equilíbrio ômega 3/ômega 6 está em um estado muito longe do ideal, devido a que a maioria dos alimentos possuem concentrações elevadas do segundo, o que, como veremos a seguir, os níveis de omega 3 necessárias para este efeito anabólico são altos, sendo de grande ajuda uma suplementação de comprar suplementos de omega-3). Vamos começar com a insulina, a qual é conhecida no mundo do fitness por essa ambiguidade na hora de transportar nutrientes para a célula (melhorando o nosso desempenho) e de armazenar o excesso de carboidratos em forma de gordura no tecido adiposo. O omega 3 ajuda justamente as pessoas que têm resistência à insulina, ou seja, aquelas que secretam uma grande quantidade de insulina, mas que, em seguida, o corpo não é capaz de usá-la corretamente. Desta forma, com o Omega3, conseguimos um melhor uso dela com uma quantidade menor de segregação. Além disso, já que o omega 3 é um excelente anti-inflamatório, ajuda a diminuir a inflamação produzida pelo estresse que foi submetido ao corpo, depois de um duro treinamento, conseguindo assim que a insulina a trabalhar de forma mais eficiente, sendo de grande interesse nosso, por ser uma das principais responsáveis pela síntese proteica. Isso demonstrou Couet quando substituiu 6g de gordura da dieta com 6g/dia de óleo de peixe durante 3 semanas, onde houve um aumento significativo na oxidação de gorduras tal como se mede pelo RER, dando lugar a uma diminuição da gordura. De acordo com Couet a conclusão do estudo foi: Outro efeito importante do omega 3, reside no seu potencial para alterar a composição da membrana plasmática (também conhecida como membrana celular) que se traduz como um aumento da liberação de ácidos graxos no sangue por parte do tecido adiposo e aumento da excreção de toxinas para o exterior da célula, conseguindo, assim, um metabolismo muito mais eficiente. Além disso, o EPA da dieta pode ser benéfico para o ajudar a inibir a conversão de DGLA em AA (ácido dihomo-gama-linolênico e ácido araquidônico) causadores da inflamação e possível aumento das reservas de gordura de forma crônica. Não obstante este efeito sobre a membrana celular leva entre 4 a 5 semanas, sendo uma das razões por que as pessoas se "desilusionan" as primeiras semanas de suplementado com omega 3. No entanto, Como ajuda o omega 3 para melhorar a nossa musculatura? O mecanismo pelo qual o omega 3 nos beneficia na síntese proteica, que ainda não está claro Tal como podemos ver na imagem a seguir, as pessoas que consomem ômega 3 aumenta a concentração de proteínas musculares. Além disso, ocorre uma melhoria na relação RNA/DNA (O Mrna é o mensageiro que vai ao meio ambiente para que se produza a transdução, dando origem a proteínas). Cabe dizer que esta melhoria não foi o bastante notória para ter em conta, é apenas um dado que nos ajuda a compreender o funcionamento do ômega 3. Como podemos observar, a quantidade de proteínas no músculo é maior depois do uso de ômega 3 Por outro lado, também se observou que o ômega 3 está relacionado com um aumento do mTor, um dos principais mecanismos pelo qual o nosso corpo sintetiza proteínas, sendo conhecido por muitos, já que a leucina age sobre este. Um dado curioso é que o omega 3 não varia em função dos níveis de glicose, leucina, ou mesmo fenilalanina (um indicador de síntese protéica) no plasma, pelo que este aumento da mTor pode residir em uma mudança de comportamento da célula muscular e melhorar o ambiente anabólico. Antes de puxar os sinos ao vôo,devo destacar que o aumento da proteína muscular por parte do omega 3, não se pode conseguir por si só, deve-se dar em um ambiente com insulina e aminoácidos, chegando mesmo a potenciar o dobro de síntese proteica que, em condições normais. Minha recomendação para aquelas pessoas que praticam musculação ou exercício aeróbico é uma combinação pós-treino de 1-1.5 g de EPA tomado com bcaa's(ou 3-4g de leucina) e algum carboidrato de índice glicêmico alto como a dextrose,e se pode ser na forma líquida . Desta forma garantimos uma rápida digestão, já que o aparelho digestivo, age de uma forma mais rápida quando os nutrientes se encontram no estado líquido. Também se pode tomar de forma contínua, no entanto, a digestão será muito mais longa e o esvaziamento gástrico foi adiada devido à presença de gorduras. Espero que tenha gostado deste artigo e vos animeis a introduzir ômega 3 em sua dieta, seu desempenho vai notar.