O desgaste dental, como um sintoma da apneia do sono


Você sabia que o desgaste dentário pode ser um sintoma da apneia do sono? Se o que temos no nosso blog de Saúde. As apneias do sono é um problema que afeta um em cada quatro adultos no Brasil e por isso têm mais de 9,5 milhões de pessoas). Não se deve perder nunca a sua importância, já que gera graves conseqüências sobre a saúde: hipertensão, problemas cardiovasculares, fadiga permanente, acidentes de trânsito, etc... Além disso, deterioram a qualidade de vida e o desempenho profissional de pessoas que as sofrem. Geralmente, o perfil de um paciente que sofre de apneia é o de uma pessoa de meia-idade, que costuma queixar-se de cansaço e sonolência durante o dia e que conta com uma história de ronco e repetidas paradas respiratórias durante o sono, geralmente observadas por seu parceiro. Não obstante, deve-se ter em conta que mais da metade dos pacientes com apneia grave não apresentam nenhum tipo de sintomas. Qual a relação entre o desgaste dental e da apnéia do sono? Estes dias, aproveitando a celebração do Dia Mundial da Saúde Oral, no passado dia 20 de Março, o BTI Biotechnology Institute apresentou os resultados de um estudo que mostra a relação entre o desgaste dentário e o risco de sofrer de apneia do sono. Como vimos, as apneias do sono são um problema de saúde que se deve ter sempre em conta. Daí que a verificação de que o desgaste dentário pode ser considerado como um elemento-chave no diagnóstico da apneia cobra grande interesse, pois concede aos dentistas um novo papel no diagnóstico e tratamento da apneia do sono. Os dentistas passam a primeira linha de detecção e tratamento da apneia do sono Até agora, os métodos tradicionais de diagnóstico consistiam em um complexo estudo de sono, normalmente realizado nas unidades do sonho hospitalares (algo nada fácil, devido à lista de espera). No entanto, agora, a consulta ao dentista pode ser o primeiro lugar em que, à vista de um problema de desgaste dentário, é possível detectar o risco de apneia do sono em um paciente e até mesmo iniciar um tratamento nos casos leves-moderados. Nesse sentido, há mais de 10 anos iniciou-se uma parceria público-privada entre a equipa de I D de BTI, liderado pelo Dr. Eduardo Anitua, e o Dr. José Durán-Cantolla, chefe do Serviço de Pesquisa do Hospital Universitário de Araba, que teve como fruto o desenvolvimento de um sistema de diagnóstico e tratamento da apneia do sono (Apnia) que permitirá que os dentistas, em colaboração com as unidades de sono, abordar esta patologia. Apnia é um simples dispositivo eletrônico que permite realizar um estudo de sonho através de um aparelho de tamanho reduzido e de fácil manuseio que o paciente leva para casa e que ele mesmo ativa durante a noite. Uma vez analisados os dados recolhidos no estudo de sonho, ele é categorizado ao paciente, de acordo com o grau de severidade das apneias que apresenta. Até agora, os tratamentos se voltaram para os pacientes com apneia grave, os que se lhes indicava o tratamento com uma máquina de CPAP (compressor que gera uma pressão de ar que evita a ocorrência de apneia), enquanto que este sistema vai permitir que muitos pacientes que sofrem de apneia leve ou moderada podem ser tratados com eficácia. O que você acha que o fato de que o desgaste dental alerta sobre a sofrer de apneia do sono?