Escolher a bebida de carboidratos de acordo com o seu treino


Como sabemos, a glicose é o principal combustível do tecido muscular e os carboidratos são a fonte mais rápida de fazê-lo. O glicogênio é a reserva corporal de glicose, armazenada nos músculos e no fígado para fornecer energia ao organismo, quando este for necessário, e a administração de carboidratos permite que o corpo derive deste aporte externo de energia, preservando seus depósitos próprios, o que significa uma maior capacidade de resposta antes do esforço. Já vimos que existem basicamente duas formas de carboidratos: os rápidos ou simples, e os lentos ou complexos. Os primeiros não exigem apenas digestão, o que permite que chegam ao sangue (na forma de glicose) e sejam usados imediatamente, enquanto que os segundos precisa de um tempo maior para digerirse (para se transformar em glicose) e, portanto, demoram mais tempo a chegar à corrente sanguínea. Tendo em conta isto, o atleta deve escolher a bebida energética mais adequada de acordo com sua especialidade. Se se trata de um esforço a curto, você pode escolher uma à base de carboidratos rápidos para que o organismo possa usá-los imediatamente durante o esforço. Se se trata de garantir a energia, a médio ou longo prazo, então, será preferível optar por uma bebida que contém polímeros curtos, médios e longos de glicose, que favoreçam um aporte imediato e sustentado da mesma. Os ingredientes mais comuns, como carboidratos simples, as bebidas de hidratos de carbono são a glicose, a dextrose, em seguida, a levulose ou a frutose que são menos rápidos, e entre os mais lentos se utiliza fundamentalmente das maltodextrinas. Em seguida, temos a amilopectina é um carboidrato complexo, mas pelo seu alto peso molecular faz com que passe pelo trato digestivo rapidamente como se se tratasse de um carboidrato simples. Para obter energia rapidamente, o melhor é beber o líquido em pequenos goles curtos e pouco antes e durante o esforço. Se o treino é de média ou longa duração, mais de 60 minutos, há que ter cuidado com os carboidratos simples que, em quantidade elevada, ocorrerá uma elevação súbita de energia, seguida por uma descida considerável, como consequência do pico de insulina que vai gerar a chegada em massa de glicose para o sangue e, uma vez que para regularla, o hormônio causa uma diminuição drástica da mesma, o que levará a uma hipoglicemia e ao consequente aumento dos níveis de energia. Nos treinos de longa duração é aconselhável usar uma bebida em que o ingrediente principal seja a maltodextrina, um carboidrato de liberação gradual, e se de que os simples, como a frutose ou glicose ocupem um pequeno percentual do produto (para isso devem aparecer por trás das maltodextrinas no rótulo), já que os ingredientes devem constar em ordem de quantidade maior para o menor. Uma forma de não nos enganarmos com a escolha do tipo de carboidratos é escolher a amilopectina. A amilopectina é um carboidrato que serve para todos os tipos de esportes, seja de resistência ou de força. Sua estrutura lhe confere um alto peso molecular, muito semelhante ao glicogênio, o que permite que a sua passagem pelo trato digestivo seja muito mais rápido. É uma ferramenta para gerar a óptima reposição de glicogênio de forma eficaz, fornecendo energia imediata para enfrentar qualquer treino ou competição. Por suas características, pode também ser utilizado como fonte de carboidratos durante o treinamento e, além disso, não gera picos de insulina, por isso é aconselhável para levar em treinos ou competições de longa duração.