Aprenda a interpretar a informação nutricional


Aprender a interpretar corretamente a informação nutricional é importante para saber comer de forma saudável e manter o peso ideal. Sobre tudo, é muito importante aprender a interpretar a informação nutricional de um alimento de acordo com o seu teor de sal, gordura ou açúcar para estimar se o alimento é aconselhável. Muitas pessoas, na hora de ver a informação nutricional de um produto só se fixam na quantidade de calorias do que este, um grande erro. Para saber se um produto é bom para nós, devemos saber identificar de onde provêm essas calorias e se, além disso, de energia nos fornece outros tipos de nutrientes como proteínas, minerais ou vitaminas. Existem alimentos que só contribuem com "calorias vazias", ou seja, são alimentos com pouco aporte nutricional. As calorias vazias tendem a incluir elevadas proporções de carboidratos de absorção rápida, como os mono e dissacarídeos, e gorduras pouco saudáveis, como gorduras trans e saturadas. Ler corretamente os rótulos dos alimentos requer prática e tempo. A maioria das etiquetas, onde aparece a informação nutricional tem dois números, um indicando a informação nutricional por cada 100g ou 100ml e outra parte com a informação nutricional de acordo com o tamanho do serviço. O primeiro passo é identificar que a quantidade do produto em questão, vamos tomar para identificar no rótulo a quantidade de calorias, gorduras, sal ou açúcar que vamos ingerir. Você deve ver que quantidade desses carboidratos simples (açúcares) e que quantidade corresponde a carboidratos complexos e fibras alimentares. Os carboidratos complexos (amidos) são absorvidos lentamente pelo organismo, pelo que produzem uma elevação mais lenta e moderada da glicose no sangue, o que permite controlar os níveis de açúcar no sangue e, ao mesmo tempo, fornecem ao corpo a energia de longa duração. Em troca, os carboidratos simples são digeridos muito rapidamente e passam para a corrente sanguínea em poucos minutos, produzindo uma condição de hiperglicemia, o que significa que existe uma grande concentração de açúcar no sangue. Para contrariar isto, nosso corpo produz um hormônio chamado insulina, que se encarrega de transportar o açúcar do sangue para as células, sobrecarregando os sistemas de produção de energia das células. Se não gastamos essa sobrecarga de energia, o excesso de açúcar é convertido em gordura. Esse é o motivo pelo qual devemos mantê-los hidratos de carbono simples (açúcares), no mínimo, especialmente se você está tentando perder peso. Também precisamos determinar a quantidade de gordura de um alimento em particular e que tipo de gorduras presentes no produto. A chave está em saber que existem gorduras boas e ruins, para, assim, garantir o abastecimento diário das primeiras e evitar as segundas. As gorduras boas são as insaturadas, compostas por gorduras mono-insaturadas que ajudam a diminuir o colesterol LDL (mau colesterol), ao mesmo tempo, impulsionar o colesterol HDL (bom colesterol) e as gorduras polinsaturadas acredita-se também que ajudam a diminuir o colesterol. As gorduras "ruins" são as gorduras saturadas e trans, e devemos limitar ao máximo o seu consumo, já que, além de fomentar o excesso de peso colocam em perigo o sistema cardiovascular. Também devemos prestar atenção à quantidade de sódio encontrados no produto. A quantidade diária recomendada de sódio não deve ultrapassar 3g diários já que um excesso deste mineral tem conhecidas consequências prejudiciais para a saúde que vão desde a hipertensão, problemas cardiovasculares, edemas (retenção de líquidos e inflamações) até os cálculos.