A cerveja, uma bebida isotônica natural


Para todos aqueles que pensam que beber uma cerveja não é algo saudável, ou acham que cometem algum tipo de pecado esportivo, neste artigo mostramos os benefícios que serve esta bebida para favorecer a re-hidratação e evitar as dores musculares e a fadiga vinculados com a prática esportiva. Isso sim, contanto que se beba de forma moderada e, no caso do uso desportivo escolher uma cerveja "sem álcool", se possível. A cerveja sem álcool fornece menos calorias do que as cervejas tradicionais, devido à eliminação ou redução do consumo de álcool. Um cantil de 250 ml. de cerveja "sem álcool" tem cerca de 70 calorias, contra as 115 calorias das convencionais. 94% da composição da cerveja é água, e após um treino intenso repor líquidos é vital para que o organismo recupere seu equilíbrio hídrico, mas também é uma grande fonte de minerais (Cálcio, Cloro, Fósforo, Iodo, Magnésio, Potássio, Selénio e Sódio) que promovem o equilíbrio eletrolítico. Depois de perder sais através da transpiração, é preciso tomar outras bebidas ou alimentos que reponham os sais minerais, por isso, a cerveja pode ser a bebida ideal pós-treino. Além disso, a cerveja também contém carboidratos provenientes do malte. A malta tem as vitaminas que estão na cevada, especialmente as vitaminas A, D e e e vitaminas do grupo B. neste complexo vitamínico B encontram-se a Rivoflavina, Niacina, Tiamina, Biotina, as quais são imprescindíveis para o bom funcionamento do sistema nervoso e melhorar os vasos capilares, evitando obstruções. Contém lúpulo, que inclui importantes propriedades diuréticas e digestivas. Além disso, a planta do lúpulo possui propriedades afrodisíacas, estimulantes do apetite e sedativos. A cerveja é um alimento muito rico em proteínas, no entanto, tem todos os aminoácidos essenciais e muitos dos não essenciais, que são provenientes do malte utilizado. É aconselhável cobrir essa carência de aminoácidos acompanhando a cerveja com alimentos ricos em proteínas. Também inclui polifenóis, antioxidantes naturais, participam na proteção contra doenças cardiovasculares e na redução dos fenômenos oxidativos, responsáveis pelo envelhecimento do organismo. Ajudam a reduzir os efeitos produzidos pelo exercício físico, como as dores musculares e a fadiga.